quarta-feira, 11 de julho de 2018

PRIVATIZAR ESTATAIS E DIMINUIR O TAMANHO DE ESTADO.

PRIVATIZAR É  BOM DEMAIS

Resultado de imagem para desemprego


"O brasileiro ama o Estado e odeia os empresários" - pode ser até uma expressão exagerada, mas reflete o pensamento e sentimento de uma maioria que sonha com um emprego público eterno pois foi isso que aprendeu desde seus avós; esse pensamento é o efeito gramsciano nestes 50 anos de ensino do Marxismo Cultural nas escolas. Deu nisso. Os militares infelizmente deram continuidade ao capitalismo de Estado que ajudou a formar essa mentalidade de amar o ESTADO e odiar o empresariado. Estado e Empresas são muito  importantes, mas cada um na sua função, na sua esfera de ação. Se não fosse a privatização das Teles, não teríamos celulares tão bons e eficientes como temos hoje. Já pensou se todo o fornecimento de Internet fosse Estatal que desastre não seria ?? - bastaria o Estado cuidar de 4 Setores: Saúde - Educação - Segurança e Infraestrutura. O restante a iniciativa privada faz muito bem e melhor com certeza. 

O sucesso da privatização da VALE por exemplo, foi muito grande, a empresa ficou melhor e até a cidade de Parauapebas no Pará,  que era um favelão na 'Vale Estatal', se tornou uma ótima cidade no período 'Vale privatizada', muito se viu a diferença. E então, porque a cidade de Parauapebas ficou muito melhor no período da gigante Vale privatizada ?? Tentem responder. Eu conheço a história e conheço a cidade.
Em Parauapebas é onde está o maior projeto mineral brasileiro, o Projeto Carajás.  

Por que nos EUA  ( pais que muitos esquerdistas odeiam), não existe nenhuma estatal de petróleo e gás  ??  A Grã Bretanha privatizou sua estatal de petróleo há mais de 40 anos, a British Petroleum e nunca se arrependeu do feito. Os ingleses observaram o óbvio e deixou a iniciativa privada cuidar do setor de petróleo. 

O Estatismo brasileiro se tornou um câncer, e fez com que os mais ricos cidadãos deste país sejam os funcionários públicos,  sim, é isso mesmo, mais de 51% da população mais rica do Brasil é formada de funcionários públicos de alto escalão. Quando o desemprego assolou o Brasil nos governos Dilma, muitos brasileiros se tornaram empreendedores, pois foi na iniciativa privada e no mercado que escaparam da crise e estão escapando, mas isto é pouco, esses novos empresários sentem no dia a dia o peso dos impostos para manter os "empregos públicos dos sonhos" dos outros brasileiros. 

Vamos pensar no sucesso do agronegócio brasileiro onde todos os produtores são privados, graças a Deus, quero aqui elogiar a EMBRAPA que é órgão estatal de pesquisa que ajuda os produtores a produzir, eis aqui uma ótima função pro estado; vemos que na agricultura, a parceria estado-empresas privadas está dando certo porque cada um está no seu "quadrado". Toda a produção e comercialização e logística de alimentos é privada no Brasil, por isso é um sucesso; se o estado cuidasse disso seria um fracasso e a fome dominaria o Brasil.

Essa mentalidade estatizante leva o Brasil ao fracasso sempre, pois despreza a maior fonte que existe de crescimento de empregos que é o setor privado. Que Deus tenha piedade de nós brasileiros. 


Pedro Paulo Barbosa

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Vila Container, Belém Pará

"Vila Container", um empreendimento do circuito alternativo aproveitando a entrada em declive de um estacionamento no bairro de Nazaré em Belém do Pará. Na foto eu e o Almir, arquiteto responsável pelo excelente projeto, iniciado no início de 2017. 


Reciclagem Espetacular - Artista Josimar Vieira

Em Floresta do Araguaia-PA, está se criando uma escola de artesãos de reciclagem, que podemos dizer que começou com Roberto Seabra e agora Josimar Vieira adere ao grupo.


Um canteiro em forma de "Poço dos desejos" feita com pneus e restos de madeira



Canteiros para hortaliças, de pneus


Mesa de canto feita com carretel de madeira gigante


Mesa usada como hack de computador, ótima uso. 




Esta "mesa de verão" fixa é muito interessante, cobertura é de antena parabólica





O artista Josimar Vieira


quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Nos tornamos réus quando nos defendemos do bandido, seja um invasor, ou um menor de idade,


Nos tornamos réus quando nos defendemos do bandido, seja um invasor, ou um menor de idade, somos vítimas da Espoliação Legal


É isso que nossas leis e juízes fazem com as invasões do MST e a condenação e a condenação aos agricultores que as combatem são um dos grandes exemplos de quando – “a lei coloca todo o aparato de juízes, policiais, prisões e gendarmes a serviço dos espoliadores e trata a vítima, quando ela se defende como criminosa” (*) A UDR – União Democrática Ruralista tem que ser refeita agora, esse é o momento. O fazendeiro brasileiro médio e grande está a mercê da bandidagem oficial e legal que exerce o Movimento das Trabalhadores Sem Terra – MST. Se um Proprietário se defender com bala dos bandidos invasores, se torna vítima; a lei impõe isso a ele. Este problema foi previsto a partir de 1750, Montalembert e Frédéric Bastiat previram isso; o uso da lei para tirar a vida (aborto e etc), tolher a liberdade e roubar a propriedade do homem. A Lei brasileira está vitimizando maciçamente os brasileiros que tentam se defender da morte, da falta de liberdade e de defender sua casa e sua terra. É a “Espoliação Legal”, o poder da lei bandida exercida por um estado corrompido. Tudo isso surgiu com o Marxismo infiltrado em nossa sociedade. 



Ainda estou lendo o excelente livro – A Lei, de Frédéric Bastiat um excelente economista francês do século XIX, que publicou esse livro em 1850, pouca antes de sua morte. Ele se baseia muito em John Locke e Adam Smith. Bastiac cita 3 direitos fundamentais dados por Deus aos homens, na verdade 3 direitos básicos – Vida, Liberdade e Propriedade; bases do pensamento liberal clássico. Leiam o livro e o recomendem principalmente a estudantes.  Tradução e comentários de Eduardo Levy. Livro da Faro Editorial




A Ilusão Socialista
“A ilusão do nosso tempo é a tentativa de enriquecer todos às custas dos demais, tornar a espoliação universal sob pretexto de organizá-la” – dito por Claude Frédéric Bastiat em “A Lei” – 1850.






A NOSSA GUERRA POLÍTICA
A guerra a ser lutada contra o socialismo deve estar em harmonia com a lei, a honra e a justiça” – Charles Forbes Renê – Conde de Montalembert (1810 – 70); Montalembert assim como Frédéric Bastiat previra com exatidão o que passamos com o advento do PT com sua ideologia esquerdista em sua quase hegemonia política, também previram a ‘Espoliação Legal’ da qual somos vítimas desde a Constituição de 1988. Então, eu aconselho baseado em Montalembert; __Vamos aproveitar as redes sociais e a liberdade que temos para combater o “Marxismo Cultural” que existe em nossa sociedade, principalmente nas escolas que há mais de 40 anos recebe ensinos comunistas/socialistas formando militantes terríveis. Combatamos neste ambiente legal, usando o direito que temos de contestar crimes e erros dos comunas. 










Pedro Paulo Barbosa 



(*) – Eduardo Levy citando Frédéric Bastiat que lembrava frase de Montalembert sobre a ‘Espoliação Legal’ 

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

ANTECEDENTES DA LIBERDADE DE IMPRENSA NO BRASIL


D. Pedro II foi sem dúvida, um dos 10 melhores governantes do Brasil independente, era democrata de convicção. 


 Resultado de imagem para d. pedro iii



È praxe dizer que a liberdade de Imprensa no Brasil começou com D. Pedro II, um verdadeiro democrata, que inclusive era bastante criticado por jornalistas abolicionistas e republicanos, famosas foram as charges que faziam gozação ao  imperador.

Pedro Luiz  Sympson, foi um brilhante deputado do partido conservador no Amazonas e, em sua segunda legislatura (1878 / 1879), em abril de 1879 declarou em plenário:

“Os direitos da humanidade, segundo se parece, cifram-se no gozo e faculdade de exercer os seus direitos; ora, sendo a imprensa potência universal do processo e civilização moderna, nós não devemos restringir as suas atribuições, isto é, esses mesmos direitos, porque Sr. Presidente – se a imprensa é o órgão por onde respira o oprimido, e encontra alívio aos males que o acabrunham na sociedade, é também um meio de se restabelecer a sociabilidade. Nós, como membros desta casa, devemos ser os primeiros a garantir essa liberdade: nunca concorrer, para que se lhe oponham obstáculos.”
Pedro Luiz Sympson


Nesse pronunciamento Sympson, o amazonense que nasceu e morreu em Manaus, diz claramente que a Imprensa é a voz do oprimido e “potência universal do processo e civilização moderna”; é de impressionar que naquele tempo alguém no Brasil já tivesse esse pensamento. A influência do Imperador é patente neste caso; um Vargas, ou um Lula não chegaria a tanto e um Lênin nem pensar.



Portanto, tucanos ou petistas não estão imunes as descobertas da imprensa que vive da propaganda privada e da venda de notícias, igrejas e agremiações religiosas não podem fugir dela se o mal fizer. Informar, Opinar e Orientar é direito de todos, desde que se fale a verdade, os leitores o analisem e julguem a relevância dos fatos. Um jornal pode errar, mas a Imprensa toda, não. 

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

GÊNESIS no Espaço -Tempo (Livro)

capa-genesis-espaco

Livro de Francis A. Shaeffer pela Editora Monergismo - www.editoramonergismo.com 






Gênesis é um livro de origens — a origem do universo, a origem da vida e a origem do homem. Ele coloca o homem em seu cenário cósmico, mostra sua singularidade particular, explica sua maravilha e seu fracasso, e começa a traçar o fluxo da história humana ao longo do espaço e tempo.




Muitos hoje, contudo, veem este livro como uma coletânea de mitos, úteis para entender a mente hebraica, talvez, mas certamente não um registro do que realmente aconteceu. O Dr. Francis A. Schaeffer desafia essa visão e mostra como os onze primeiros capítulos de Gênesis permanecem como uma base sólida, espaço-temporal, para responder as questões difíceis apresentadas pelo homem moderno.



Excelente livro para duas matérias científica e teológica - Criacionismo e Cosmovisão Cristã.